Mês Literário – EI e EF I

O Mês Literário acontece desde 2012 no Colégio e, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I, tem como proposta o aprofundamento no estudo de um autor. A partir desse enfoque, o trabalho com a palavra passa a uma nova esfera, em que aspectos criativos e expressivos do texto são integrados a sua função informativa. Autores e autoras como Ricardo Azevedo, Manoel de Barros, Clarice Lispector e Ruth Rocha já proporcionaram mergulhos na literatura aos nossos alunos. No mês que antecede o Mês Literário, as turmas de G2 ao 5º ano são instigadas a pesquisar e aprofundar o conhecimento da obra e vida de um autor ou uma autora, gerando reflexões sobre o processo de escrita e a literatura em si.

Último evento

Cecília e Manoel, inventores de amanheceres

No Mês Literário das unidades Madalena e Girassol, homenagearemos Manoel de Barros e Cecilia Meireles!

No Colégio Oswald de Andrade, da Educação Infantil ao Ensino Médio, a leitura e a literatura são atravessadas pela curiosidade, pela bibliodiversidade, pelo afeto. Compõem, pouco a pouco, os sensos críticos e estéticos de nossas e nossos estudantes. 

Ao longo do já tradicional Mês Literário, a descoberta do gosto pela leitura é ainda mais latente. Durante o Mês, o colégio vive literatura; o contato com a obra, biografia e contexto histórico que permeiam os autores homenageados é convite ao conhecimento e aposta na sensibilidade. Nesse percurso, os trabalhos com os textos e as imagens, o manuseio e análise dos objetos-livros vão revelando questões essenciais, e encontrando na literatura modos de sentir o mundo, o outro e a nós mesmos.

Essas são algumas das intencionalidades que envolvem o Mês Literário. Elas se materializam nas experiências literárias, na literatura que passeia pelo tempo, pela natureza, pela sensibilidade de sentir as infâncias – o ser criança encapsulado na forma dos poemas. Outras intencionalidades acabam por não se materializar: vivem latentes na imaginação e nas lembranças, revividas nas leituras e apreciações literárias ao longo da vida.

Em 2022, o Mês Literário completa dez anos. E, dentro da programação formativa e cultural que envolve os 100 anos da Semana de Arte Moderna, recuperamos também a memória das primeiras experiências desse evento, tão caro ao colégio. Escolhemos retornar aos primeiros autores homenageados pelas crianças e pela comunidade oswaldiana em 2012 e 2013: Manoel de Barros e Cecília Meireles. 

Manoel e Cecília trazem substratos do sentir: pequenas fagulhas de sensibilidade que vão contornando o olhar, espanando a brutalidade, afastando a aridez dos dias corridos, da vida engolida na pressa. Poetas das delicadezas, da vida ao rés-do-chão; do invisível, mas também da racionalidade. 

O que há no nada (“nonada”, diria Guimarães Rosa), no desvio da rota, no imaginar? A vida na infância é assim –  e se sim, como perdemos brilhos pelos caminhos? Talvez as respostas estejam em sentir, no se deixar levar pela comunhão com a natureza, pela memória, pela brincadeira, pela invenção. 

Descobrir poesias dividindo leituras, encantamentos, desenhos, interpretações: encontrar o tempo. Neste Mês Literário, Manoel e Cecília nos trazem casas voadoras com janelas, meninos azuis, colares de contas brilhantes, cavalos que falam, rios que nascem em quintais, horizontes esticados em teias de aranha, instrumentos para desfazer tristezas. Por isso, inventam amanheceres. 

E, nas tantas vozes de crianças, que fazem renascer seus poemas, renascem também esperanças de mundos melhores.

*Manoel de Barros será trabalhado pelos grupos de G1 a G4 (Unidade Madalena), G5 e 1º ano EF1 (Unidade Girassol). Cecília Meireles será trabalhada pelos grupos de 2º a 5º ano EF1

Outras edições

0 0 votes
Article Rating